Conflitos no Oriente Médio: Papa condena "interesses obscuros" que vitimam as populações
Acesse sua conta Login
Faça parte Cadastrese!
Arautos do Evangelho
Arautos Podcast contato Contato Rezem por mim
  Livro Dr Plinio de Mons João Clá

Conflitos no Oriente Médio: Papa condena "interesses obscuros" que vitimam as populações
Gaudium Press - 2016/09/29

Cidade do Vaticano (Quinta-feira, 29/09-2016, Gaudium Press) - Hoje, no Vaticano, o Papa Francisco, ao receber em Audiência próximo se 40 organizações católicas de solidariedade que prestam ajuda às populações na Síria e no Iraque, condenou a violência nesses dois países.

O quinto encontro de organizações católicas de solidariedade sobre a crise humana na Síria e no Iraque é promovido pelo Conselho Pontifício ‘Cor Unum', com o objetivo de debater uma das "mais graves crises" das últimas décadas, informa o Vaticano.

Palavras do Papa

Em suas palavras, Francisco , acusou "interesses obscuros" que estimulam e tiram proveito dos conflitos armados que assolam o Oriente Médio.

Disse o Papa: "Notamos com grande tristeza que, apesar dos muitos esforços feitos em várias áreas, a lógica de armas e da opressão, os interesses obscuros e a violência continuam a causar estragos nestes países".

Para Francisco, as "consequências dramáticas" desta crise chegam até outras regiões e suas consequências são visíveis em vários outros países. Vejamos, por exemplo, o "grave fenômeno migratório" que atinge outras regiões.

Assistência à população: Doze mil agentes católicos

Nas zonas de conflito no Oriente Médio atuam cerca de 12 mil agentes católicos e assistem a 4 milhões e meio de pessoas na Síria e Iraque:

"Até agora, não temos sido capazes de acabar com o sofrimento desgastante e a violação continuada dos direitos humanos", destacou o Pontífice.

Admiração , reconhecimento, apoio

Dirigindo-se às comunidades cristãs no Oriente Médio, o Papa, em seu nome e de toda a Igreja Católica, manifestou-lhes "admiração, reconhecimento e apoio".

Já na quarta-feira, o Pontífice tinha apelado a favor da população civil na cidade síria de Alepo, palco de confrontos entre as forças governamentais e movimentos rebeldes, e apontou o dedo aos responsáveis pelos bombardeamentos.

Com a presença de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a audiência pública semanal das quartas-feiras, ele disse:

"Apelo à consciência dos responsáveis pelos bombardeamentos, que terão de prestar contas diante de Deus". (JSG)

Votar Resultado 0  Votos

Gostou desta página? Então comente e participe da nossa família! Se ainda não é usuário, basta se cadastrar. É simples, rápido e gratuito! Se já é usuário, basta fazer seu login.