Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018.

Terceira Semana do Advento
Santo do dia: Beata Nemésia Valle, virgem
Cor litúrgica: roxo

Evangelho do dia: São Mateus 1, 18-24

Primeira leitura: Jeremias 23, 5-8
Leitura do Livro do Profeta Jeremias:

5Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei nascer um descendente de Davi; reinará como rei e será sábio, fará valer a justiça e a retidão na terra. 6Naqueles dias, Judá será salvo e Israel viverá tranqüilo; este é o nome com que o chamarão: 'Senhor, nossa Justiça.' 7Eis que virão dias, diz o Senhor, em que já não se usará jurar 'Pela vida do Senhor que tirou os filhos de Israel do Egito' 8- mas sim: 'Pela vida do Senhor que tirou e reconduziu os descendentes da casa de Israel desde o país do norte e todos os outros países`, para onde os expulsará; eles então irão habitar em sua terra'.

- Palavra do Senhor 
- Graças a Deus

Salmo 71 (72)

- Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, vossa justiça ao descendente da realeza! Com justiça ele governe o vosso povo, com eqüidade ele julgue os vossos pobres.
 
R: Nos seus dias a justiça florirá  e paz em abundância, para sempre.
 
- Libertará o indigente que suplica,  e o pobre ao qual ninguém quer ajudar. Terá pena do indigente e do infeliz, e a vida dos humildes salvará.
 
R: Nos seus dias a justiça florirá  e paz em abundância, para sempre.
 
- Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque só ele realiza maravilhas! Bendito seja o seu nome glorioso! Bendito seja eternamente! Amém, amém!
 
R: Nos seus dias a justiça florirá  e paz em abundância, para sempre.

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 1, 18-24

- Aleluia, Aleluia, Aleluia.
- Ó guia de Israel, que no monte do Sinai orietastes a Moisés, oh, vinde redimir-nos com braço estendido!

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria, em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: 'José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados'. 22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23'Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco.' 24Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado, e aceitou sua esposa.

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Comentário ao Evangelho por São João Paulo II (1920-2005), Papa
Carta apostólica «Redemptoris Custos», §§ 25-27 (trad. © copyright Libreria Editrice Vaticana)

«Quando despertou do sono, José fez como o Anjo do Senhor lhe ordenara»

O clima de silêncio que acompanha tudo o que se refere à figura de José estende-se também ao trabalho de carpinteiro na casa de Nazaré. É um silêncio que desvenda de maneira especial o perfil interior desta figura. Os evangelhos falam exclusivamente daquilo que José fez; mas permitem-nos auscultar nas suas açõe», envolvidas pelo silêncio, um clima de profunda contemplação. José estava quotidianamente em contacto com o mistério «escondido desde todos os séculos», que «estabeleceu a sua morada» sob o teto de sua casa (Col 1,26; Jo 1,14). [...]

Uma vez que o amor paterno de José não podia deixar de influir sobre o amor filial de Jesus e, reciprocamente, o amor filial de Jesus não podia deixar de influir sobre o amor paterno de José, como chegar a conhecer as profundezas desta singularíssima relação? As almas mais sensíveis aos impulsos do amor divino veem com muita razão em José um exemplo luminoso de vida interior. Mais ainda, a aparente tensão entre a vida ativa e a vida contemplativa tem em José uma superação ideal, possível para quem possui a perfeição da caridade. Atendo-nos à conhecida distinção entre o amor da verdade e as exigências do amor, podemos dizer que José experimentou, quer o amor da verdade, ou seja, o puro amor de contemplação da Verdade divina que irradiava da humanidade de Cristo, quer as exigências do amor, isto é, o amor igualmente puro do serviço, requerido pela proteção e pelo desenvolvimento dessa mesma humanidade.